Entrevista: Dr. Fellet, sentimento e memória da Academia

Entrevista: Dr. Fellet, sentimento e memória da Academia Previous item Dra. Emilia Sato assume... Next item Geraldo Gonçalves...

O Dr. Aloysio J. Fellet, foi fundador da Academia Brasileira de Reumatologia (ABR), em 1982, sendo Patrono e Titular da Cadeira 27. Ele presidiu a ABR na gestão 1992/1994 e sempre foi muito atuante, participando da organização dos eventos e das demais atividades.

Na atual gestão, o Dr. Fellet, ao lado do Dr. José Tupinambá Souza Vasconcelos, é o coordenador da Diretoria Científica, integrada pela Drª Ieda Maria Magalhães Laurindo, Dr. Cesar Baaklini e Dr. Nilzio Antonio da Silva.

No dia 4 de junho o Dr. Fellet comemorou os seus 87 anos, ainda atuante e motivado em suas atividades em Juiz de Fora (MG). Ele concedeu uma entrevista para o site da Academia, atendendo ao convite do presidente Dr. Lauredo Ventura Bandeira.

Academia: Dr. Fellet, o senhor foi o sexto presidente da Academia Brasileira de Reumatologia, na gestão 1992/1994. Como era a Academia naquela época?

Dr. Fellet: Em 1982, quando da sua fundação a ABR aglutinava os principais nomes da Reumatologia Brasileira, mas não tinha ainda o prestígio e a importância adquirida ao correr dos anos. Eram os colegas que através de reuniões, Conferências e Palestras, foram se entrosando, tornando a ABR um estímulo e um desejo de todos os Reumatologistas do Brasil.

Boletim da Academia, em novembro de 1992

Academia: O que senhor lembra dos pioneiros da academia? Conviveu com muitos deles?

Dr. Fellet: Meu relacionamento com os participantes da ABR vem desde 1962, quando fiz Residência Médica no Serviço do Professor Jaques Houli da Santa Casa do Rio de Janeiro. A partir daí passei a conhecer outros Reumatologistas do Rio de Janeiro e que participavam em Simpósios, Palestras e Reuniões Científicas junto ao Serviço de Reumatologia da Santa Casa do Rio de Janeiro.
Conheci os Drs. Pedro Nava, Hilton Sêda, Waldemar Bianchi, Israel Bonono, Caio Villela Nunes, Ruben Lederman, Flamarion Gomes, Odir M. Pereira e outros.
Em 1965, fui convidado pelo Dr. Pedro Nava, na época, um dos organizadores do Congresso Mundial de Reumatologia, realizado em Mar Del Plata na Argentina, para participar e apresentar um trabalho científico sobre GOTA. Foi nossa 1ª. participação internacional.
Depois desta, participamos em várias outras dos amigos Reumatologistas citados acima.
Dr. Waldemar Bianchi em 1972 me convidou para reuniões na cidade do México e em Los Angeles (Universidade da Califórnia).
No México fui apresentado ao Dr. Prof. Gabor Katona – Chefe do Serviço de Reumatologia do Hospital Geral do México – um dos maiores artroscopista do mundo.
Posteriormente, no ano seguinte fui para o México fazer um CURSO de ARTROSCOPIA com êle.
Conseguimos com a Syntex Internacional a doação de um Artroscópio para o Serviço de Reumatologia do Hospital Universitário da U.F.J.F., que se tornou o 2º. no Brasil a fazer tal procedimento. O 1º. Foi o do Hospital São Francisco no Rio de Janeiro, com o Professor Jair Vieira Gomes.
E assim foram várias outras participações até 1982, quando foi fundada a ABR – Academia Brasileira de Reumatologia.
O meu relacionamento com os pioneiros da Reumatologia foi muito expressivo.

Academia – O nosso presidente, Dr. Lauredo, encaminhou a seguinte pergunta: Fellet, há quantos anos você está na Academia e na organização das reuniões com formação das pautas e dos certificados?

Dr. Fellet: Sou pioneiro da Reumatologia na minha Região desde 1962, quando ingressei na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais. Em 1964, tornei-me Professor Titular de Reumatologia por Concurso Público, permanecendo até 2002, quando aposentei. Em 1982 participei da fundação da ABR como Patrono e Titular da Cadeira no. 27, passando a Membro Emérito em 2010.
Desde 2000 sou Presidente do Conselho Científico da ABR, participando com o Presidente na Organização das Conferências e Encontros Nacionais.

Academia: O senhor lembra da Conferência Nacional da Academia Brasileira de Reumatologia, 28 e 29 de agosto de 1998, em Juiz de Fora – MG?

Dr. Fellet: Em 1998, foi realizada a 6ª Conferência Nacional da ABR, em Juiz de Fora. O presidente da ABR era o Acadêmico Ueliton Vianna.
A Conferência foi um sucesso, com mais de 250 participantes da Academia, médicos e formandos de Medicina. Na época, eu era Professor Titular de Reumatologia da U.F.J.F. 9º. período, que congregava 100 alunos e que em parte compareceram.

Capa do programa da XIV Jornada de Reumatologia de Juiz da Fora da ABR, realizada em agosto de 1996

Academia: Nestes anos todos da Academia, quais foram as coisas mais marcantes para o senhor?

Dr. Fellet: O relacionamento com os Acadêmicos, as reuniões e as Conferências me proporcionaram um elevado ganho nos conhecimentos científicos e amplificaram consideravelmente meus relacionamentos com profissionais da área da Reumatologia, não só brasileira, como também internacional.

Academia: Uma alegria na Academia?

Dr. Fellet: Nossas reuniões, nossos amigos e a confraternização com aqueles que nos acompanharam nas festividades.

Dr. Aloysio J. Fellet, professor e reumatologista atuante

Academia: Uma saudade na Academia?

Dr. Fellet: A falta de reuniões mais frequentes, a ausência dos amigos que nos deixaram. Seria o sonho da minha vida!

Academia: Um sonho para a Academia?

Dr. Fellet: Podermos por muitos anos continuar a conviver com os amigos que fizemos no longo destes mais de 60 anos de um relacionamento cordial, alegre e sincero.

Academia: Breves palavras sobre a Academia.

Dr. Fellet: A ABR é o destino e o sonho de todo Reumatologista que faz de sua área profissional um campo de ciência, profissionalismo, seriedade e sobretudo participação em eventos nacionais e internacionais.

Programação da XIV Jornada de Reumatologia de Juiz de Fora da ABR, em 1996

Entrevista com o Dr. Aloysio J. Fellet para o site da Academia Brasileira de Reumatologia (ABR), concedida ao jornalista Diniz Neto.
Contato com o site: contato@reumatobr.com.br – WhatsApp (44) 99122 8715